BNDES e Finep lançam linha de crédito de R$ 2,2 bilhões para indústria química

A Finep e o BNDES lançaram nesta quinta-feira (05/11), no encerramento do Seminário Desenvolvimento Produtivo e Inovativo, o primeiro edital do Padiq (Programa de Desenvolvimento e Inovação da Indústria Química). O plano é a maior linha de crédito para a indústria química em 2015 e faz parte do programa Inova Empresa, o mais ambicioso plano de inovação já lançado no Brasil.
Fundamentado no Estudo de Diversificação da Indústria Química (Ediq) – financiado pelo BNDES – o Padiq investirá R$ 2,2 bilhões (R$ 200 milhões em recursos não reembolsáveis e R$ 2 bilhões reembolsáveis) em seis linhas temáticas apontadas pelo estudo. Entre as principais linhas temáticas estão os projetos para a produção de materiais compósitos e fibras de carbono, derivados do silício (incluindo o uso do silicone na construção civil) e produtos químicos de fontes renováveis de matéria-prima.
Para a elaboração do edital, Finep e BNDES também realizaram consulta pública, permitindo uma participação assertiva de projetos ligados ao objetivo do programa. Durante o processo, houve contribuição de 20 empresas, 6 instituições de ciência e tecnologia (ICT) e 19 pessoas físicas ligadas a universidades e centros de pesquisas brasileiros. Ambos os órgãos terão participação equivalente nos investimentos do Padiq (R$ 1,1 bi de cada). Os contratos firmados terão valor mínimo de investimento de R$ 10 milhões para empresas. Já para ICTs, os recursos serão de no máximo R$ 20 milhões.
O setor químico é um dos principais fornecedores de matérias-primas e produtos para diferentes segmentos, e o segundo em importância na formação do PIB Industrial. Atualmente, o Brasil ocupa o sétimo lugar no ranking da indústria química mundial. A lista é liderada pela China, seguida pelos estados Unidos. A expectativa do plano é colocar o país como protagonista no mercado mundial, oferecendo os melhores processos e produtos para toda a cadeia produtiva da indústria brasileira e promovendo além do conhecimento e inovação, mão de obra qualificada, postos de trabalho, renda e qualidade no fornecimento dos serviços.
Todos os participantes do edital devem apresentar planos de negócio estruturados. A exigência se justifica pelo alto valor investido e pelos riscos tecnológicos e de mercado envolvidos. A avaliação dos resultados das empresas contempladas será realizada a cada dois anos.
Linhas temáticas
· Aditivos para alimentação animal
· Derivados do silício
· Materiais compósitos e fibras de carbono
· Aditivos químicos para exploração e produção do petróleo
· Insumos químicos para higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC)
· Químicos a partir de fontes renováveis.
Fonte: Finep